sábado, 22 de julho de 2017

[Cinema] Fome de Poder - The Founder


Existem aqueles que são gênios, donos de grandes ideias, que pensam além dos processos habituais e podem revolucionar o mundo. Existem aqueles que vivem de ganância, na busca pelo poder e na tentativa de se dar bem a qualquer preço. Existem aqueles que são gênios e gananciosos, que conseguem levar suas grandes ideias ao mundo e são cultuados por isso. Existem aqueles que são cultuados por terem gerenciado grandes ideias, o que não lhe garante ética, nem mesmo o título de gênio, ou qualquer outro título honroso.

Os irmãos McDonald's eram gênios, após uma experiencia frustrada com o modelo de lanchonete vigente nos EUA na década de 50, Richard e Maurice se basearam no modelo Ford para remodelarem o processo de produção dos lanches, onde é estruturado uma linha de produção em que cada funcionário realiza uma parte da montagem. O movimento repetitivo faz com que a produção seja mais eficaz, rápida e mantenha o padrão.


Ray Kroc é o ganancioso que não merece um título honroso, bom de lábia, galanteador, discurso pronto e corajoso, podemos falar tudo sobre Kroc, mas temos que reconhecer que ele adorava um desafio. Munido de engenhocas para lanchonetes, Kroc recebeu um pedido inusitado, uma lanchonete solicitou a compra de 8 mixes que produziam vários milk-shakes de uma vez, o que só podia ser uma pegadinha, mas não custava nada verificar o local.


Surpreso, Kroc não conseguia acreditar no que via, atendimento eficiente, rapidez na entrega, ausência de baderneiros, ambiente limpo e clientes, muitos clientes, famílias inteiras na fila ansiosas pelos produtos McDonald's. Após conhecer o funcionamento do local e a história dos donos, Kroc teve a certeza que precisava levar aquele modelo para outros cantos, espalhar por toda costa.

Apesar de gênios, os irmãos McDonald's tinham medo de arriscar, estavam satisfeitos com o sucesso local e não pretendiam ampliar o negócio e faturar mais. Kroc logo apresentou um modelo de franquia, o que foi imediatamente reprovado, mas após conversas e concessões os irmãos se renderam, tentaram ser cautelosos com aquele novo passo, mas permitiram a busca de franqueados.


Kroc começou sua busca por franqueados, pessoas de confiança que pudessem levar o negocio adiante, mas sem estragar o conceito da marca. Começou então os primeiros embates, a mudança de cardápio, a baixa rentabilidade, a dificuldade em encontrar pessoas responsáveis e a resistência dos irmãos sobre a resolução de cada item. 

Os embates fizeram com que a ganancia prevalece-se diante dos gênios, excluindo qualquer título honroso que pudesse ser dado ao homem que transformou aquela movimentada lanchonete de San Bernardino, Califórnia, na maior rede de fast-food do mundo. Hoje presente em 120 países, 37 mil franqueados e milhares de admiradores.


A produção vai além do desejo de contar a história da lanchonete, ela consegue passar diversas lições sobre gestão e coragem. Já começa com um monólogo de Kroc sobre como você precisa ser corajoso para colocar em prática suas grandes ideias, devemos arriscar, dar tudo de si, realmente acreditar que aquilo é extraordinário, do contrário, é só mais uma ideia perdida.

Kroc não é um modelo a ser admirado e seguido, mas a sua persistência em acreditar que aquele modelo de negócio tem potencial e que pode alçar voos bem mais altos do que o esperado é louvável. Quantas vezes temos grandes ideias e simplesmente deixamos de lado por medo de arriscar, por desistirmos no primeiro tombo, por não nos cercarmos de pessoas de confiança. Quantas vezes escolhemos o caminho mais fácil por medo do novo? ACREDITE!

Nenhum comentário:

Postar um comentário